[INterviews 2017] David Coelho – Emprego através do Linkedin em 3 semanas

[INterviews 2017] David Coelho – Emprego através do Linkedin em 3 semanas

As INterviews são entrevistas com profissionais sobre o seu uso do Linkedin. Desde a utilização mais pontual à mais regular, quero testemunhar a utilização que as pessoas dão à rede profissional. Já fiz 5 entrevistas com a Sónia, a Filipa, a Karla, o Márcio e o Luís! Consulte a Lista de Entrevistas.

O entrevistado de hoje é o David Coelho [ligação para o seu Perfil Linkedin] – que conheci por terras digitais! O David é um profissional de Marketing Digital e um empreendedor.

Como teve conhecimento da rede Linkedin? Quando fez o seu registo na rede?

Ao estudar como é que a startup que ajudei a fundar devia entrar no mercado, acabei por recolher informação que indicava o LinkedIn como uma ótima fonte de construção de contactos.

 

O meu registo no LinkedIn data do dia 14 de Janeiro de 2012. Desde aí e por motivos profissionais é provavelmente a rede social que mais me surpreendeu.

 

 

Que objetivos tem com a sua presença nesta rede profissional? Mudaram ao longo dos tempos ou mantém os mesmos propósitos de utilização?

Os meus objetivos iniciais com a criação de uma presença no LinkedIn eram muito claros: chegar a possíveis clientes construindo uma imagem / marca pessoal credível.
Posso afirmar que nos últimos 5 anos o propósito manteve-se inalterado, no entanto e como muito brevemente irei abraçar um novo desafio, o objetivo passa a ser mais low profile na vertente comercial. Pretendo manter a credibilidade da minha marca pessoal e cada vez mais apostar na produção de conteúdo relevante.

 

Falemos sobre a sua tão importante rede de contactos. Como a qualificaria?

Não tenho dúvidas que a minha rede de contactos é muito vasta e rica. Foi construída para responder à necessidade de chegar com escala ao mercado que pretendia atingir com os projetos que fundei com mais 4 amigos e da qual era responsável comercial – Adfamilies e boomApp.


Dos atuais 3392 contactos da minha rede, a maioria são altas chefias e chefias médias de Marcas, Agências de Meios e Agências Criativas. Ao longo do tempo fui percebendo que não me devia “fechar-me” em Portugal e acabei por abrir contacto além-fronteiras (UK, Itália, EUA, Espanha).

 

Em termos de participação, considera-se inativo, reativo ou proativo? Que atividades realiza regularmente na rede? É mais utilização de desktop ou de telemóvel?

Cada vez mais procuro que a minha participação seja proactiva. Infelizmente como andamos sempre numa roda viva e embrenhados nos projetos acabamos por descurar aspetos tão importantes como a produção de conteúdo relevante. Um dos meus objetivos a partir desta rentrée é tornar-me cada vez mais relevante e proactivo na rede. Fica a promessa.Na sua grande maioria o meu acesso ao LinkedIn é através do desktop.

O Seu Perfil Linkedin Está a Trazer (de forma consistente) Novas Oportunidades de Carreira ou de Negócios e a Ter o Destaque que Merece?

Programa de Consultoria especial Clique aqui para saber mais [Linkedin Checkup]

A sua presença nesta rede já lhe trouxe benefícios para a sua carreira ou negócio?

Não tenho dúvidas que sim!

Para além das inúmeras campanhas que conseguimos trazer através do LinkedIn (a primeira campanha com o Intermarché é exemplo disso), mais recentemente e com a minha necessidade de abraçar um novo desafio, um perfil completo e campeão possibilitou-me chegar a mais recrutadores. Com a ajuda do LinkedIn e da minha rede de contactos consegui em três semanas encontrar o meu próximo desafio.

 

Acredito que, bem utilizado, o LinkedIn responde na perfeição aquilo que se propõe.

 

Alguma história curiosa, engraçada, interessante que tenha vivido nesta rede?

As histórias mais engraçadas que vivi devido ao LinkedIn têm sempre em comum o facto das pessoas que disponibilizam o contacto telefónico na rede, não acreditarem que alguém lhes possa fazer um contacto credível a sugerir marcar uma reunião.

Em muitas chamadas ficava mais tempo a justificar como consegui o número do que a marcar reunião ou próximos passos.

Na sua opinião, como irá evoluir esta rede nos próximos anos?

Com a Microsoft on board – sky is the limit… Ainda assim e passado já um ano depois da operação de compra, penso que ainda estão por concretizar os verdadeiros planos da gigante Microsoft para o LinkedIn.

 

Inicialmente acreditei que íamos assistir a mudanças muito mais rápidas e revolucionárias. Naturalmente que existiram alterações e na minha opinião, boas mudanças. Estaremos cá para ver.

 

 

 

 

 

Não perca nas próximas semanas! Teremos nova entrevista com outro profissional – Registe-se aqui para ser notificado da nova entrevista!